MORRE A PIANISTA BRASILEIRA ISABEL MOURÃO

Na edição de julho de 1947, da revista "Brasil Musical
encontrei esta foto da grande pianista Isabel Mourão.




Foi aluna de Magdalena Tagliaferro. Apresentou-se em São Paulo pela primeira vez, em 1943, executando o concerto para piano nº 2, de Rachmaninov, sob a regência do maestro Mehliche. O sucesso levou-a apresentar-se em recitais em Porto Alegre e Curitiba e, também, em diversas cidades do interior paulista. Em 1946, foi para Paris a fim de participar do Concurso Internacional Marguerite Long, no qual classificou-se entre os dez vencedores, tendo sido diplomada.

No Facebook encontrei a notícia sobre seu recente falecimento.

Lamentavelmente, ao que parece, a imprensa paulista nada noticiou a respeito. Eu conheci Isabel Mourão no final dos anos 1960, e pude avaliar de perto todo o seu talento. Merecia das autoridades paulistas e da imprensa todo o respeito pelo que fez pela música erudita brasileira.

É com imenso pesar que comunico o falecimento da pianista brasileira, ISABEL MOURÃO, última das grandes damas do piano brasileiro. Madame Mourão sofria há alguns anos de Alzheimer, mas foi acometida por uma pneumonia, permanecendo por 10 dias internada, não resistindo e falecendo em 13/05/2016, em São João del Rei(MG). 

Nossa extraordinaria pianista e professora, nasceu em São Paulo em 1922, fora aluna de J. Kliass, Magda Tagliaferro, Isidor Philip, Tomás Terán, Eduard Steuermann, entre outros importantes professores. A simplicidade nas interpretações, sem excessos, sem maneirismos, mas em nada estéreis, transbordando naturalidade encantou plateias do Brasil, EUA e Europa, incluindo em seu repertório sempre compositores brasileiros.
Foi a primeira pianista no mundo a gravar a coleção de 66 peças: "Lyric Pieces" de E. Grieg e os Cinquenta Ponteios de Camargo Guarnieri, que lhe dedicou o Ponteio N. 24.
Recebi com muita tristeza a noticia e as fotos de sua neta, Gisela Isolani, em especial para esta nota. Meus sinceros sentimentos aos familiares de Isabel Mourão, esperando que as autoridades brasileiras rendam a Isabel Mourão, mais do que merecida homenagem.
Ana Claudia Trevisan Rosário





Comentários